21.1.10

A colecionadora

Há tempos trancafiada em seu flat à beira-rio, a moça, aquela (que pediu para não ter seu nome revelado), finalmente aceitou o convite de amigos e foi badalar em uma importante buátchi de nossa Capital insular.
Cabelos impecáveis, modelito descoladíssimo, vertiginosos saltos Louboutin, make-up perfeito, perfume francês aspergido na nuquinha, nossa heroína dançou até esfregar o pinguelo no chão, muito da faceira, enquanto degustava, aos golinhos, um Cospomolitan.
Depois de dançar no queijinho, ameaçar um streap-tease sobre a mesa, beijar muitas bocas, sarrar muito esfregando-se na parede com tipinhos dos mais variados, repassar seu número de telefone (falso, é claro) para inúmeros pedintes, chegou a vez de ir embora.
Foi aí que ela deslizou. Habituada ao clima de "sinta-se em casa" dos náiteclubes sharkcitianos, a moça sucumbiu à tentação e embolsou o delicado copinho de cristal que acomodava seu Cosmo.
Não contava, no entanto, com o segurança, que, ao pedir para ver a comanda (gasto total de R$ 212, fora uma carteira de Lucky Strike, na rebarba), também visualizou o copinho com o logo da buátchi, envolvido precavidamente no Hermés que a moça sempre mantém na bolsa, para emergências.
"Este copo é da casa", sentenciou o leão de chácara.
"QUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE??????????????????", chiou a honesta mulher, já antevendo certa malícia na afirmação do funcionário. "Não fui eu que coloquei aqui, hein? Deve ter sido um daqueles moleques", e apontou para um discretíssimo grupinho de butterflies borboleteando ao som de Lady Gaga.
"Droga, perdi um ótimo modelo para minha coleção", comentou, em casa, enquanto espanava sua prateleira com 82 tipos diferentes de "troféus", entre flutes e tulipas, canecos e shots de tequila.

3 comentários:

Fernanda Kuke disse...

Louboutin? Hermés? Mocinha rica hein! Imagino o requinte do tal flat à beira-rio... rsrs

Marcos Dalmoro disse...

Lembra da Aidê??? uauhahua
Ainda fez a desentendida.

Cíntia Teixeira disse...

Isso que eu não comentei sobre a bolsa Birkin, Fê.
Hahahahah, a Aidê é uma criatura única, Deus todo poderoso...