12.1.10

Aprendendo com a vida (ou com a vizinhança)

Não que eu queira parecer repetitiva, mas há que se destacar a importância da vizinhança na vida do ser humano. Digo repetitiva pois, há alguns meses, meu assunto predileto neste bloguinho fofuxo e cor-de-rosa era o imbecil do meu (graças a Deus) ex-vizinho adolescente que curtia um fio terra e que apanhava da namorada (vide arquivo).
Vizinhos são a (des)graça da vida em comunidade, são o que faz sua vida valer a pena ou o que te leva à beira do abismo do desespero por um caminhão de mudança. O cinema está aí pra comprovar, e não é à toa que o filme Janela Indiscreta (Rear Window), do Hitchcock, serve de inspiração até hoje para centenas de produções.
O adolescente desocupou o apê aqui debaixo há alguns meses, tempo este de alegrias e tranquilidade. Mas este tempo findou-se com a chegada das novas moradoras. Amigos, devo dizer que gosto muito do lugar onde moro, gosto mesmo, acho bem localizado, com espaço interessante para sua única moradora (e para sua cachorrinha), seguro, com valor não-exorbitante, enfim, seria um local perfeito para residir não fosse o responsável pelo aluguel do apê logo abaixo, esta mansão de Amityville em forma de conjugado, um incrível filho da puta. Sim, porque o cara não tem o menor critério. Para ele, pagando o aluguel (mais ou menos) em dia, tá valendo.
Anyway, é importante ressaltar a capacidade de aprendizado do ser humano. Porque sempre há o que se aprender. Com a chegada de minhas duas queridas novas vizinhas, tenho recebido verdadeiras lições de vida todos os dias, depois da uma da tarde, horário em que as belas despertam de seu sono reparador.
Por exemplo, com as moças aprendi muito sobre moda e estilo. Já no segundo dia no prédio, desci para uma voltinha com a minha pet quando esbarro com uma delas conduzindo um tipinho crack style escada abaixo: seminua. Sim, senhores, é verão, moramos num país tropical abençoado por Deus e nada melhor do que um pijaminha puído, safado e transparente para refrescar a perseguida, não é mesmo?

Também aprendi sobre consumo e controle de qualidade na hora de desembolsar meu rico dinheirinho - uma verdadeira aula de economia. Dia desses as duas roomates conversavam animadamente sobre aquilo que toda mulherzinha ama conversar: compras. Liguei as anteninhas. "O certo era pegar R$ 100 e ir lá no Jonas, cara. Dá 100 gramas. A maconha do Jonas é excelente, vale a pena", sentenciou uma delas. Ficadica.

Outra rica lição absorvida pela espectadora aqui foi quanto ao amor devotado ao trabalho. Senhores, devemos, acima de tudo, de salários, carga horária, coleguismos ou inimizades, AMAR de fato aquilo que fazemos para botar comida na mesa. Semana passada uma das moças cantava, divertida, enquanto se arrumava para o trabalho. "Essa noite eu quero DAR, DAR, DAAAAAR" (para os entendidos, cantar no ritmo da música I gotta a feeling, do Black Eyed Peas). Dedicação ao que se faz é importante para o sucesso na carreira.

Dicas de beleza não faltam no repertório de minhas animadas vizinhas. Como por exemplo uma sugestão sensacional para deixar os cabelos arrasantes. "Ai, guria, aquele salão ali perto do Castelinho* é óóóóóótimo!!!", disse uma. "Éééééé, eu sei, já fui lá uma vez. A manicure também é boa", concordou a outra, com ênfase.

Aprendi também que, independente de raça, credo ou time de futebol, somos todos filhos de Deus, iguais diante do Todo-Poderoso. Enquanto se besuntam de hidratante Paixão, queimam um baseado e conversam amenidades, as meninas se distraem cantando hinos do tipo "Entra na minha casa, entra na minha vida, mexe com minha estrutura, sara todas as feridas...". Achei fino. Achei luxo. Achei Maria Madalena feelings.

* pra quem não conhece Shark city e suas peculiaridades, digamos que Castelinho seja um point... hum... não recomendável para menores de 18 anos.

7 comentários:

Guilherme Corrêa disse...

Pô, preciso fazer uma visita só pra conhecer as figuras desse condominio de luxo e alegoria! hahaha BJão

André Nandi disse...

Putz, ri alto com "crack style". hahaha! esse teu senhorio filho da puta me lembrou um antigo morador lá do meu prédio que putiado com a caixa - que semanas antes tinha tomado o apto - colocou 12 travecos pra morar lá...

Marcos Dalmoro disse...

Jambalaia Ocean Drive! ahuahua

Fernanda Kuke disse...

Meniiiina!!! Coloca um algodãozinho nos ouvidos da baby Nina... Tão donzela e inocente criaturinha!

Mas tu fica ligada, vai que o tal cabeleireiro próximo ao Castelinho é bom mesmo (rs)!

Fernanda Kuke disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabi disse...

Acho que fiquei interessada no tal Cabelereiro!
Ainda bem que eu tô no final do expediente, porque tô caindo da cadeira de tanto rir!!!