15.8.09

Dia dos Solteiros (ou Sem pânico no sábado à noite)

Sair sem hora pra voltar, flertar com todos os tipinhos interessantes da balada sem levar beliscão no braço, bebericar mais de dois drinks sem a pressão de uma cara feia do seu lado, almoçar uma pizza inteira e jantar um tomate; ou nem almoçar ou jantar, pintar o cabelo de loiro, carregar na maquiagem, curtir sua TPM sem grandes consequências, usar com tranquilidade aquela calcinha bege (!) de elástico frouxo, dormir com a cara coberta de creme, atrasar a depilação... tem coisas que só a solteirice faz por você.
Hoje (15/08) é o Dia dos Solteiros. A questão é que ser solteira (o) com dignidade é uma arte - porque não há nada pior do que um solteiro desesperado, convenhamos. O sujeito que atira para todos os lados, a gata que arrasa no decote vertiginoso pra chamar a atenção da galera, o mocinho que ganha inspiração (para fins nada éticos) fuçando perfis de Orkut alheios, fofuchas que adicionam até o Papa no emeésseene na esperança de rolar um algo a mais.
Tem gente que até cria um código de conduta pra catar alguém: beber o suficiente para ficar alegrinha, mas não ao ponto de revelar a data de nascimento; comprar roupa nova a cada balada, arrasar na chapinha todo santo dia, publicar fotos "sensuais"no site de relacionamentos e deixar o álbum aberto ao grande público, pregar a estatuetinha de Santo Antônio de ponta-cabeça até o pobrezinho providenciar um marido, ir pra cama com todos que se aproximam, ou nunca ir com ninguém porque "não é o momento certo".
De fato, ser solteira é uma delícia - ainda que muitos solteiros não concordem com isso. Aliás, meu desafio diário, atualmente, é tentar fazer com que alguns amigos realmente acreditem numa vida de luz e magia fora dos laços sagrados. É claro que não pretendo terminar meus dias tão solitária a ponto de conversar com as paredes, e acredito que em algum lugar do mundo meu príncipe encantado ruma em minha direção (provavelmente sem cavalo branco, portanto, a demora). Mas há que se ter paciência e curtir todas as vastas possibilidades oferecidas por este período de liberdade. Até porque - e aí, você, que é casadão (ona), tem que admitir - não há comprometidos na face da Terra que não cobicem a vida de solteiro (pelo menos em algum momento do dia). Aproveite esta fase.


Tá felizona solteira e pretende ficar assim por anos a fio? Ótimo. Ou não vê a hora de conhecer aquelezinho que fará seu coração bater mais rápido? Ok. Só faça um grande favor à humanidade: queime a calcinha bege e agende uma depilação urgente!


4 comentários:

Ju Neves disse...

Fiquei anos luz solteira, com apenas relacionamentos de meio tempo, e foi ótimo. Muitas histórias para contar. E agora namorando tb eh muito bom. Acho que o segredo é aproveitar cada fase, ao invés de cobiçar a fase do próximo.
bjbj

Fernanda Kuke disse...

Também fiquei bastante tempo solteira e curti muito!! Agora estou casada, feliz e apaixonada, mas confesso que adoro quando tenho a oportunidade de ficar em casa sozinha, tendo um dia de lulu, com creme no rosto e no cabelo, lendo revista, fofocando ao telefone, dormindo com calcinha velha e frouxa... Rsrs

Cíntia Teixeira disse...

Bom, meninas, esqueci de acrescentar ali no post que, dependendo do namorado, a gente continua dormindo de carçolão e creme de abacate (???) na cara. Heheheh... (maldadzinha).

Carolina disse...

Curti muito minha vida de solteira e agora curto mais ainda a vida de casada.