13.8.09

Pandemia (ou O Lado Bom do Toque de Recolher)

Tendências macabras à parte, a gente meio que sempre esperou por um momento desses. Não bastassem produções hollywoodianas como Resident Evil, Extermínio, Epidemia e Eu sou a Lenda, que plantaram no inconsciente coletivo imagens devastadoras do que seria a epidemia de um vírus letal, há alguns anos (em 2005, se não me falha a memória) a imprensa brasileira alardeava a possibilidade da chegada, em território nacional, de uma doença que "devastaria 1/3 da população mundial até o fim do ano" (Revista Veja, 2005), a Gripe Aviária.
Eu e as alopradas a quem chamo de amigas passamos uma noite inteirinha divagando a respeito, e chegamos à terrível conclusão de que pelo menos uma pessoa naquela mesa de bar não estaria viva em 2006. Houve choro e ranger de dentes.
Sobrevivemos, no entanto. A Aviária não veio, mas eis que surge a Suína, trazendo com ela o pânico, a insegurança e a paranoia. Parece até mentira, mas esta pacata cidadezinha que escolhi para viver, este pedacinho de terra cortado por nosso bucólico Shark river, é considerada hoje o olho do furacão da Gripe A, com algumas mortes registradas e dezenas de casos suspeitos.
Aulas foram suspensas, festas, cinema e até missas e cultos estão sendo cancelados. A palavra de ordem agora é "álcool gel". Beijos, abraços e cumprimentos mais efusivos estão proibidos. E desta vez eu não estou exagerando.
É como um toque de recolher, que foi submissamente aceito pela população amedrontada. Estabelecimentos comerciais já lamentam a brusca queda nos lucros. Até as fatídicas formaturas, tão em voga por estas plagas, foram transferidas, pra se ter uma ideia mais concreta do drama.
Existem aqueles que estão arrancando os cabelos, banhando-se em álcool gel e instalando tranca dupla na porta de casa (vai que o vírus tenta entrar na marra?); outros (e muitos) invadiram os supermercados locais para estocar comida em casa - guerra biológica não é mole, não, amigos. Muita gente já desfila com a fatídica mascarazinha na cara: a hora é de prevenção.
A boa notícia (para mim) ficou por conta do cancelamento de um evento posto em prática uma vez por mês, nesta megalópole de meu Deus, quando o comércio abre suas portas durante o sábado. Para bombar as vendas em datas "especiais" (como no Dia dos Pais), a câmara dos dirigentes lojistas daqui fecha a avenida e monta um cirquinho musicado bem no miolo do centro da cidade.
Com a perigosa gripe, no entanto, o evento foi cancelado, no último sábado, ficando eu aqui livre das incômodas apresentações de muóda sertaneja (tudo muito ao gosto dos meus queridos conterrâneos, né, Guigui?). Ok, prefiro sofrer com "um fio de cabelo no meu paletó" a ter que me trancar no banheiro para poder tossir à vontade.

5 comentários:

Guilherme Corrêa disse...

Antes de entrar no blog coloquei minha mascara e limpei a tela e o teclado do computar. Prevenir é o melhor remédio.
Nem me fale sobre o cancelamento do Dia D. Estou de luto. Sete dias sem escutar música sertaneja em homenagem ao nosso amigo W.J.Jr.

Ricardo Chicuta. disse...

Estou com a maldita desde segunda feira e vou dizer uma coisa:Ô bichinha desgraçada.Muita febre,dor de cabeça,dor em todas as partes do corpo e cansaço.
Mas nem morri nem nada e hoje já vou lá na Cachaçaria Água Doce compartilhar meus vírus com os freqüentadores.

João Lucas disse...

Falando com unziotros nos últimos dias, a maioria mandou serviçais darem aquela meia sola nas residências de verão. Promessa de um finde de agosto como os de janeiro em "Shark".

Cíntia Teixeira disse...

Hahahhaha... é isso aí, Guigui, até os blogs de Shark city são contagiosos.

Ricardo, mas que maldade! Pelo menos tá munido de Tamiflu?

Chaps, honey, pra praia basta ter sol. Então não vamos nos encontrar para infectar o pessoal no Caçula?

Fernanda Kuke disse...

Ontem foi constrangedor espirrar na sala de aula - fiz o mais discretamente possível, mas todos me olharam e quase me mandaram pra casa...


Nos restaurantes e outros lugares públicos há cartazes sobre 'etiqueta da tosse', trabalho do curso de Design é bolar folder sobre prevenção à gripe...


Também tenho esta sensação de 'estado de sítio', algo com um ar apocalíptico e hollywoodiano (lembrei dos mesmos filmes...) Imaginem meu susto, ao abrir e Clic RBS e ler a Notícia sobre o cancelamento das aulas pelo governo do Estado, números de mortes e casos suspeitos na bucólica Shark City, onde vive (agoro moro em Florianópolis) e onde ainda vivem minhas queridas mães e irmã...) Menina!
Recebo os 'boletins' através de e-mails e telefonemas da mammy, relatando que oporteiro do prédio onde mora pegou o vírus, que as ruas da cidade andam desertas, o comércio às moscas, bancos não estão fazendo atendimento, só no caixa eletrônico, não há escola, todo mundo em casa, estocando alcool gel 70... Bom... vocês sabem melhor que eu...

Achei correto, causa medo, mas medidas extremas tiveram que ser tomadas... Em Florianópolis não há a mesma preocupação, falam em exagero e preferem nem comentar o assunto para evitar pânico... Embora o alcool gel já esteja em falta no comércio da região e alguns eventos já tenham sido cancelados em virtudo da Gripe A, acho que a população está descuidada.
Mas tudo bem, sigo com alcool gel, escancaro a janela do ônibus, mesmo em dia de chuvo - mesmo que me torçam o nariz...

Quanto à máscara, prefiro deixar para os gripados ou resfriados...