10.1.07

Gostosas, saradões, descerebrados e afins

Ai, e o que é aquele elenco do Big Brother, minha gente? Mal começou e eu já tenho meus três ou quatro alvos preferidos pro paredão. A loirinha cadavérica de 30 quilos que já está na berlinda e que grita, de minuto a minuto, algo como "e aí, garoooootoooo?" recebeu dez votos meus, hoje, pelo site. A deejay amiga do Luciano Huck cujo nome artístico é Ana Lee e cujo nome "real" é Anali (ahahahahaha) já ganhou o título da "mais chata" da house. Expulsaram o pobre do rapaz que é namorado do filho de um diretor global só pra não pegar mal, dado o grande número de "semi-pseudo-celebridades" convocadas nesta edição - até a cabocla catarinense já fez pontinhas em Malhação e sacudiu o buzanfã (generosérrimo de farto) no concurso da Nova Loira do Tchan. Argh. É muita piranha e muito bombado descerebrado por metro quadrado, Deus do céu... Blogueiros Brasil afora já estão revelando a ficha corrida de algumas das "beldades" da casa: casas de massagem, serviço de escort-girl e inferninhos chiques, de maneira geral. E a padronização no visual? Todos os guris são malhadinhos, fazem algo entre Administração e Direito e sonham em viajar para a Tailândia. As meninas são siliconadas, usam e abusam de tops mostra-barriga e falam com aquela vozinha arrastada e mole que deve ser considerada sexy por alguma espécie de macho mundo afora: "Ai, Biaaaaaalllll........". O que foi, gozou ou tá enfartando? Nem precisa ser gênio para adivinhar a putaria enlouquecida que vai rolar nesta casa. Eu? Vou é ficar bem instalada na sala, ao lado de Marie Louise, e acompanhar a TUDO, que não sou boba nem nada... (by Cíntia T.)

2 comentários:

Anônimo disse...

Trabalho com comunicação e assisto para chegar a conclusões como a sua, Cíntia. Mas desconfio(leia-se certeza) que o bitola-bitola-Brasil tem um roteiro prévio (?) e uma aposta certeira: a exploração da testosterona + feromônio + libido dos nossos belos+viris jovens(ou seja: sensualidade e pegação). Receita clichê de 10 entre 10 BBBs mundo afora para gerar audiência e receita publicitária para os donos do negócio. Continuemos apreciando a arte de manipular a mente humana que usa ratos, digo, belos jovens, para gerar entretenimento barato e alienante a grande massa de telespectadores/ consumidores. Nossa, acho que viajei no comentário. Mas é isso. Fica bem. ;-)

Paulo R. Duarte disse...

Que povinho mediocre...
29 milhões de ligações do povo brasileiro votando em algum candidato para ser eliminado do Big Brother.
Vamos colocar o preço da ligação do 0300 a R$ 0,30. Então, teremos... R$ 8.700.000,00.
Isso mesmo! Oito milhões e setecentos mil reais, que o povo brasileiro gastou ( e gasta ), em cada paredão!
Suponhamos que a Rede Globo tenha feito um contrato "fifty to fifty" com a operadora do 0300, ou seja, suponhamos que ela embolsou R$4.350.000,00.
Repito:
Alguém poderia ficar indignado com a Rede Globo e a operadora de telefonia ao saber que as classes menos letradas e abastadas da sociedade, que ganham mal e trabalham o ano inteiro, ajudam a pagar o prêmio do vencedor e, claro, as contas dessas empresas.
Mas o "x" da questão, caro(a) leitor(a), não é esse. É saber que paga-se para obter um entretenimento vazio, que em nada colabora para a formação e o conhecimento de quem dela desfruta; isso mostra só a ignorância da população, além da falta de cultura e até vocabulário básico dos participantes e, consequentemente, daqueles que só bebem nessa fonte, eCerta está a Rede Globo.
O programa BBB dura cerca de três meses. Ou seja, o sábio público tem ainda várias chances de gastar quanto dinheiro quiser com as votações.
Aliás, algo muito natural, para quem gasta mais de oito milhões numa só noite!
Coisa de país rico como o nosso, claro!
Nem a Unicef, quando faz o programa Criança Esperança, com um forte cunho social, arrecada tanto dinheiro.
Vai ver, deveriam bolar um "BBB Unicef".
Mas, tenho dúvidas se daria audiência.
Prova disso, é que na Inglaterra, pensou-se em fazer um Big Brother só com gente inteligente. O projeto morreu na fase inicial, de testes de audiência.
A razão? O nível das conversas diárias foi considerado muito alto, ou seja, o público não se interessaria.
Programas como BBB existem no mundo inteiro, mas explodiram em terras tupiniquins.
Um país onde o cidadão vota para eliminar um bobão (ou uma bobona) qualquer, mas não lembra em quem votou na última eleição.
Que vota numa legenda política sem jamais ter lido o programa do partido, mas que gasta seu escasso salário num programa que acredita de extrema utilidade para o seu desenvolvimento pessoal e, que não perde um capítulo sequer do BBB para estar bem informado na hora de PAGAR pelo seu voto.
Que eleitor é esse?
Depois, não adianta dizer que político é ladrão, corrupto, safado, etc. Quem os colocou lá? Claro, o mesmo eleitor do BBB!
Aí, agüente a vitória de um Severino não-sei-das-quantas para Presidente da Câmara dos Deputados e a cara de pau, digo, a grande idéia dele, de colocar em votação um aumento salarial absurdo a ser pago pelo contribuinte.
Mas o contribuinte não deve ligar mesmo, ele tem condições financeiras de juntar R$ 8 milhões em uma única noite para se divertir (?!?!), ao invés de comprar um livro de literatura, filosofia ou de qualquer assunto relevante para melhorar a articulação e a autocrítica...
Chega de buscar explicações sociais, coloniais, educacionais.
Chega de culpar a elite, os políticos, o Congresso.
Olhemos para o nosso próprio umbigo, ou o do Brasil.
Chega de procurar desculpas, quando a resposta está em nós mesmos.
A Rede Globo sabe muito bem disso, os autores das músicas Egüinha Pocotó, O Bonde do Tigrão e assemelhadas, sabem muito bem disso; o Gugu e o Faustão também; os gurus e xamãs da auto-ajuda idem.
Não é maldade nem desabafo.