5.1.10

Em festa de rodeio...

Finalmente pude dar o ar da graça num destes balneários de nosso querido e rico sul-catarinense, neste feriadão de fim de ano - aliás, festcheenhas mais chatas estas de fim de ano, não é mesmo? Variações sobre um mesmo tema. Enfim, bastou por meus lindos pezinhos de esmalte orange power mega blaster na areia do Farol de Santa Marta para dar início às lamentações.
Primeiro, que aquilo lá virou um lixão a céu aberto. Lugar tão bonitinho, vibe tão alto astral, gente tãããããããooooo bonita (calma, guria), e tudo absurdamente negligenciado, sacolões gigantescos de lixo viraram cartão postal, ofuscando o monumento que dá nome à praia.
Ok. O segundo ponto a ser destacado é uma ligeira alteração no perfil dos frequentadores daquele paradisíaco monte de lixo. Se antes surfistões sarados e platinadas ratas de praia tomavam conta, agora são empurrados covardemente para o costão por caminhonetes gigantescas que estacionam na areia e deixam rolar, no talo, de Calypso a Bruno e Marrone (e aí vale de tudo quanto é bandinha de sertanejo/forró/genéricos universitários existentes neste país de meu Deus, tenho mais paciência pra isso não).
Coisa mais ridícula foi tentar tostar na praia do Cardoso ouvindo coisas do tipo "ei, pissiu, beijo, me liga..." ou "chupa, chupa, chupa que é de uva" (sim, eu sei, "sucesso" antiguinho, mas o povo gostcha). Constrangedor, pra dizer o mínimo.
Aí que casou bem com a historinha que ouvi do colunista Cacau Menezes, na tv, na hora do almoço. Disse ele que neste findi uma bombadézima casa noturna de Floripa teve a honra de receber um cliente endinheiradérrimo. O bonzão não pediu apenas uma, e sim DUAS garrafas de champagne Cristal (cada uma custando a bagatela de SETE MIL REAIS, vê se pode, e eu me achando com minhas Aurora Moscatel). Aí que nesta boate, quem pede uma Cristal tem direito a uma música (argh, que coisa cafona). E o ricão, como mandou ver duas garrafinhas, ganhou duas musiquinhas, à sua escolha. Pela excentricidade do sujeito, não podia ser diferente: o moço exigiu a execução de duas modinhas sertanejas, imagina a cara do povo.
Então é o seguintchi: ou morre torrando em casa ou adere ao style chapéu de cowboy e shortinho enfiado e cai na festa, né? Passo...

6 comentários:

Anônimo disse...

Mas Champagne Aurora Moscatel é bom... pior se fosse aquelas cidras Cerezer, 3 reau a garrafa!!!

SaMuCaO disse...

o anônimo acima é by SaMuCaO... rsss...

Cíntia Teixeira disse...

Opa, Aurora Moscatel é dilícia... e vou confessar: até a Cerezer quebra um galho, fala sério... Thanks pelo comment, Samuca!

Marcos Dalmoro disse...

Por isso que eu adoro Jurerê! hauhauha

Fernanda Kuke disse...

Putz, o cara já é muito otário (e deslumbrado) pagando sete contos por um champã de R$ 200 e ainda acha que está arrasando... Aqui na esquina nego tá vendendo Veuve Clicquot a R$ 200 - com aquela capinha térmica laranja e tudo...

Confesso que também me esbaldo com os espumantes nacionais (saboroos com precinho fantástico)... Mas com a queda do dólar, o glamour ficou bem mais acessível e champagne francês virou cachaça nas festinhas da ilha... O chiquetérrimo agora nas festas granfas é um drink assim champã + licor de cassis... Provavelmente o champã é Aurora... Rico que é rico não esbanja não... Veuve Clicquot fica na adega aguardando ocasiões muuuito especiais...

Anônimo disse...

Por que nao:)