21.6.09

Love is in the supermarket

Para as que não acreditam na chegada de um príncipe montado num cavalo branco - e para as que já passaram pela fase mais baladeira da vida - a busca por um par ideal é uma árdua tarefa (principalmente se voce já passou dos... cofcof... 25 anos). Mas nem pensar em desanimar, não é mesmo, minha gente? Até porque a procura é uma das partes mais emocionantes em uma relação (not!). Numa rápida ida ao supermercado, dia desses, lembrei-me dos sábios conselhos da Cosmopolitan (contém ironia). A revista-da-mulher-solteira-mais-desesperada-ever costuma trazer dicas das mais curiosas para apimentar a monótona vida das panelas sem tampa e dos sapatos velhos sem pés cansados (mmmm, deu um nojinho, agora). Uma das dicas mais hypadas incentivava as muiézinhas a tomar o rumo do angeloni mais próximo fazer comprinhas com segundas intenções. Porque, de acordo com a publicação, um supermercado, dependendo do horário, pode ser um puta de um lugar pra azaração comer solta, entre chuchus, abobrinhas e desinfetantes. Háhá.
Mui bien. Eu, bem instaladinha aqui nesta Shark city do meu coração, onde a regular single life termina obrigatoriamente aos 25, aventurei-me, dia desses, fim de tarde de domingo, ao super da esquina. E voilá! Acho que descobri a fórmula do amor! Sim, meninas e meninos de coração desocupado, existe muita sedução por entre as gôndolas. Prova disso foi o alemãozinho de olhar maroto que me abordou enquanto eu escolhia um pacote de macarrão. "Você deixou cair isso?", sacudindo um pacotinho de Vono. Não, eu respondi.
Sem falar do galantíssimo Clark Kent que pediu socorro à Lois Lane aqui para decifrar qual marca de detergente multiuso sua mamã estava se referindo. Leva o Veja, recomendei.
E o moreninho belzebu, cheio da ginga, que puxou papo lamentando pelo desaparecimento do quiosque do Mioshi. Pena, não é mesmo?, arrematei.
Sim senhores. Em meia horinha de compras, três abordagens das mais interessantes, todos sozinhos (ainda que não necessariamente solteiros, who knows?) e bastante compenetrados na arte do flerte.
Aí o problema foi comigo mesma. Desacostumada com esta vida de guerreira reprodutora, fiquei absurdamente inibida e sem graça. É, eu praticamente fui embora correndo do super, deixando o pacote de macarrão e o molho de tomate. Mas calma, tudo tem seu tempo. Eu hei de me readaptar a esta vida de romance.
Dica importante: quando partir para uma sessão de compras "in love", nada de pôr mercadorias como pacote super size de papel higiênico ou sabonete líquido íntimo canforado no carrinho, olho vivo. Bota um batonzinho nesta boca e se joga.

4 comentários:

Lucas Fernando disse...

Uaaau,
tá podendo!
haha
bjo

John disse...

hahahahahahahaha
Morri...

Stella Bousfield disse...

Hahhaahhaha. Eu tenho que ir pra Shark City mesmo. Fazer o quê? Compras, óbvio!!!!!!

Mara Modesto disse...

Ah, bem q a minha tia (casada, lógico!) me dizia: lugar de arrumar namorado é em supermercados, livrarias e video locadoras! Ha-ha...
Adorei o blog, moça! To seguindo!