27.11.08

Preparativos natalinos (ou menos 5,5kg)

Estamos às portas (douradas e com guirlandas em vermelho e verde) do Natal e desde a última postagem já pensei em dar rumos ultramente radicais à vida (nada dramático, e sim do tipo mudança de cidade ou de país), já pensei em largar o regime, a academia, em voltar a beber (como se tivesse virado abstêmia, haha), em montar um novo blog, escrever um livro (ou dois), enfim, estes pensamentos mundanos que nos invadem a mente, quando em vez.
O bom é que não fiz quase nada de tudo o que andei pensando, e vieram os bônus: desde a sacudida master de minha endócrino me orgulho em revelar que, em menos de um mês, CINCO QUILOS E MEIO já foram sumariamente exterminados de meu corpinho (novamente) de sílfide. Ok, nem tanto, mas já entro nos meus jeans antigos, o que é deveras salutar.

**********

O que é legal também é perceber que este ano - até pouco tempo considerado bastante "conturbado" - está terminando de um jeito bem bacana. Claro que estamos falando de mim, particularmente, porque, convenhamos, a despedida de 2008 tem sido péssima para o povo catarinense, benza Deus. Aliás, falar em realizações pessoais diante de toda a tragédia que atingiu nosso litoral norte me fez lembrar do meu colunista predileto (hahaha), Cacau, que hoje em dia tem ganho a vida em suas aparições diárias no noticiário estadual lendo emails de "fãs". Aí rolou um estresse básico: a dondoca contou que não aguentava mais tanta chuva porque estava "engordando". Chuva pede chocolate, sopinhas, foundies, de acordo com a pôia. Outra fã de Cacau, mais solidária, lamentou o chiste da primeira, que se gabava de estar comendo do bom e do melhor enquanto milhares permaneciam desalojados, sem roupas nem alimentos, sem mais nada. Eu me cobri de vergonha alheia, o email, que era pra ser um simples gracejo, se transformou em uma declaração de insensibilidade, futilidade e egoísmo.
Anyway, voltando a falar de mim, meu assunto predileto, espero ter boas notícias para muito em breve, cruzem os dedinhos.
**********

Este período ainda se mantém como o meu preferido de todo o ano - grande parte desta empolgação toda por conta deste infantilismo que me corrói as entranhas e me faz querer, secretamente, ganhar uma Barbie Castelo de Diamante e um pogobol. Para entrar devidamente no clima, fui até as Americanas e adquiri uma fofíssima árvorezinha de madeira, com os penduricalhos do mesmo material, pintadinha a mão, totally old school. Luxo. Ainda de lambuja tem a minha gigantesca e maravilhosa árvore de Natal adquirida no ano passado, um sonho realizado (sim, meu maior sonho na vida era comprar a minha própria árvore de Natal). E mais guirlandas, e papais-noéizinhos, e truques do gênero. Amo muito tudo isto. Minha missão agora é elaborar um deliciosíssimo cardápio para minha ceia natalina - que a dieta vai me acompanhar até no momento de maior fartura gastronômica do ano. E comprar os presentinhos da Ju. Tô achando que ela vai adorar a Barbie Castelo de Diamante...

3 comentários:

Guilherme Corrêa disse...

POGOBOL!
Nossa, só isso já valeu o texto.
Bjao e parabéns pelos quilos a menos :D

Maite Lemos disse...

Oi pessoa
Só para te manter atualizada :) não é mais "pogobol". O nome agora é "gogobol", mas o brinquedo é exatamente o mesmo. Ah! Tbm não é mais "Pequeno Pônei". Agora chamam o mesmo cavalinho de "My Little Pony".
E não precisa agradecer pela informação. Faz parte do meu papel de mãe que enche a filha de presente pra satisfazer suas próprias frustrações infantis.
Bjnho

Cíntia Teixeira disse...

Yes, eu já vi a bendita propaganda do pogobol travestido de "gogobol", mas me recuso terminantemente. Resta saber se eu conseguiria, hoje, do alto dos meus 27 (hehe), me equilibrar sobre as duas bolas coloridas. Eita. Beijo pros dois!