27.10.08

Dieta, abstemia e outras torturas do gênero

Aí a moça aqui, com aquelas dobrinhas indesejáveis perturbando seu bem-viver, decide procurar um especialista. "Acho que masquei um chiclete feito na Fantástica Fábrica de Chocolates e só vou parar de inflar quando explodir", brinquei, querendo fazer graça com a endócrino, magérrima, fininha, delicada. A doutora sorriu.
"O problema é que eu gosto de comer. Adoooooro comer", complementei. Ela ali, sorrindo e anotando.
"Quando vejo um Big Mac ou uma lata de Pringles eu perco o controle do meu organismo", forcei a tanga. Mais um sorrisinho esboçado, mais uma anotação no bloquinho.
"As irmãs da minha avó eram tão gordas, mas tão gordas que, diz a lenda, não passavam pela roleta do ônibus. EU NÃO QUERO FICAR ASSIM!", parti para o desespero. A mulher revirou os olhinhos, dado o exagero.
Mexe daqui, consulta dali, e o veredito (ou diagnóstico?): falta de vergonha na cara.
Foi quando meu martírio teve início. Ao invés de me receitar os populares (e controversos) comprimidinhos mágicos que reduzem um metro de sua cinturita em uma única semana, uma maldita DIETA. Di-e-ta.
Dieta amarga, do tipo dois grãos de arroz, um de feijão e um bife do tamanho da minha unha, no almoço. De free, só folhas verdes. Tomate não é liberado (só um pires). Nem abobrinha nem vagem nem chuchu, vejam só, nem o chuchu pode-se comer à vontade na minha torturante dieta.
Mas o pior ainda estaria por vir. Durante nossa longa entrevista (aí foi bom, há milhões de anos que uma consulta médica não durava tanto tempo, mais de 15 minutos, uau!) a doutora perguntou, despretenciosamente: "Mas você bebe?"
PUTZ, como diria minha saudosa brunette belzebu Charlotte.
"Sim, eu bebo", revelei, com profundo constrangimento. Ah, se ela soubesse...
"Mas bebe muuuuito, muuuito? Tipo, DUAS LATAS por semana?".
Hahahahahahahahahahahahahah...
"É... é por aí... um pouquinho mais, talvez...", murmurei, cabisbaixa. "Somos muito boêmios", tentei justificar.
"Não. Não, não, não. Cerveja engorda muuuuito. Muito. Você deve sair com seus amigos, deve se divertir, claro. Mas evite a cerveja. No máximo, no máximo, dois copinhos por semana. Mas tente trocar por Coca Light", sugeriu.
Céus. Bom, se marido consegue, por que eu não conseguiria, não é mesmo?
Mas eu prometo que, se perder uns quatro, cinco, até, pago uma rodada pra galera. Desejem-me sorte (e força na peruca).

4 comentários:

Maite Lemos disse...

Ô Amiga (já to me achando de chamar assim, né)
Nem me fala em dieta.
Passei por essa torturinha básica de consultar uma endócrino no ano passado.
Então vou te passar o segredo da felicidade (mas não espalha):
SIBUTRAMINA
Tem q ter receita. Mas é bem tranquilo. No máximo dá uma insoniazinha de nada.
Mas eu fiz todos os exames primeiro. Colesterol, triglicerídeos. diabetes e tals.
Tava tudo OK! Aí pude tomar a vontade.
Perdi quase 10 kg. Mas com calma. Em um ano. O primeiro mes é o mais rápido. Já perdi 4 quilinhos direto.
Então... procura essa tua médica aí e diz q quer a sibutramina e pronto.
É o único jeito que eu conheço de ser feliz e fazer dieta ao mesmo tempo.
Mas a cerveja naum tem jeito. Naum pode beber meeeeesssssmo!
bjnho

Cíntia Teixeira disse...

Hahahahah, eu QUERO! No meu retorno na doc, já vou afiada, com o nome na ponta da língua. Thanks!

Ruiva disse...

Eu te entendo, querida. Estou sendo forçada a uma dieta de frutas, verduras e legumes por uma semana. Tô surtada já!!! Eu quero um boi inteirooooooooooooooooooooo. E dez frangos!

Anônimo disse...

Eu bebo sim...hahaha...amei,.... ô vida! Falei pro teu marido que tô tentando evitar...duas latinhas agora: uma no sábado e a outra no domingo. Ow, onde vc tava que não caminhou com ele à beira-rio...poderia ter me revisto, nega...bjs