4.6.08

A maldição da "tia"

Aí que quando eu achava estar livre da feira-festa com mais shows de desconhecidos por metro quadrado do Sul catarina, fiquei de plantão no domingão e... hahahaha, maldade das maldades, marido-chefe me mandou labutar e achar teens ensandecidas pelos guris da banda NX Zero (what?). NX Zero pra mim quer dizer a mesma coisa que Victor e Leo e GDO do Forró, ou seja, ... zzzzzzzzzzz...
Muito antes do show começar a circulação das tietes-mirins já era intensa. Meninas de bota megasalto thequeenofthedesert, jeans skinny e casaquinhos de moleton rosa com bordadinhos em forma de borboleta tomavam conta do pedaço. Chego num grupinho de pré-teens, umas lindinhas, e quando as bobinhas avistam meu crachá (não leram o que tava escrito, o que importa é que é crachá, não à toa, o Bozó é um tipo muito real), desandaram a grudar no meu pescoço e gritar: "Tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, me deeeeeeeeeeeeeeeeeixa entrar, eu quero ver eles, só um pouquinho, tia, só tirar uma foto, tia, por favor, por favor, por favor". Deusolivre, (acho que) não quero ter filhos e não sou tia de moça daquele tamanho. Ha-ha.
Aí vou pra outro grupinho e.. tcharam: a mesma reação ao ver o crachá: "Tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, tia, peloamordedeus eu amo eles". Ai. Eu pronta pra dizer "tia o caráleo, pivete, se manda" quando surge uma "mulher mais velha", acompanhando as meninas. Eu querendo acreditar que a mulher tivesse 45 anos e que, sim, quem sabe ainda sou uma garotinha, e ela, sorridente e saltitante, contou estar acompanhando a filha e as amiguinhas. Quantos anos? "29", revelou, levemente constrangida. Cuén.
Quando eu for presidente do Brasil vou lançar um decreto PROIBINDO veementemente que pessoas usem a palavra tia para denominar quaisquer outros com quem não mantém laços consanguíneos. Sob pena de cadeia.
Aí eu tava indo embora, o fotógrafo (finalmente) tinha concluído o exaustivo trabalho de fotografar uma minhoca com franja e olho pintado de preto se contorcer enlouquecida sobre o palco e aí me passa ao lado uma GAAAAAAAATA. Microssaia djins, brusinha, casaquinho de matelassê rosa pink preso no braço, coxas roooooooliças em MEIA ARRASTÃO e, claríssimo, botas vamp, salto fino, na brita. Uns 70 quilos, distribuídos belissimamente em 1,60 de altura, e se. Cinturinha de coluna jônica, dórica, greco-romana, whatever. Hairspray perde. Ai, eu tenho que me desdobrar na malhação porque daqui a pouco sou eu. Sem meia arrastão, claro. Anyway, serviu pra alguma coisa. Me senti menos tia. Pelo menos, não sou louca.

4 comentários:

Germana Telles disse...

a-d-o-r-e-i!

quanto ao quem buliu..te conto mais tarde...ainda como a orelha do cristão, essa semana ainda...pode esperar que vai dar capa (ou capado...hehe).

Micah disse...

oiee
eu adorei o blog.. sempre gosto de ler blogs de jornalistas, vcs escrevem muito bem.. sou um pouco frustrada por n ter seguido essa minha veia..rsrs
dá uma passadinha lah no meu blog!
bjus

Dodói™ das Idéias disse...

Huhauahauah!
Ô, tia.. deixa eu te contar...
A última pivete que me chamou de tia, recebeu a seguinte resposta:
- "Olha aqui... eu tô cheia de problemas, mas tua tia eu não sou!"...
Eu não sei pq, mas ela nunca mais me cumprimentou direito....rs
Beijos, blogueira!

Guilherme disse...

Nossa, fiquei com pena. O que foi pior, estar entre os emos ou ser chamada de tia? Os dois, não? COmo sempre, o blog continua sendo uma otima forma de diversão. Bjao!