6.6.08

In the gym

Segunda-feira

De volta à selva de suor, lágrimas e culto ao corpo que é a academia de ginástica. Esteira, num quase trote, ignorando a arritmia. Entra uma señorita cuja cintura ultrapassava um metro de largura. A moça pesava na boa uns 130. A bunda era um colosso de Rhodes. Do seu lado, sua personal trainer: coxas torneadas, bunda redondíssima e arrebitada, delineada pelo legging, barriga do tipo invejável, daquelas sem faltas nem excessos, sem ossos aparentes nem uma mísera grama de banha a mais. Confesso que, sem conotação gay, please, sequei a rapariga. Uma exuberância de corpo. Contraste dramááático.

A personal tocava a vítima trainee pra esteira. 20 minutos. Tocava a gorducha pros aparelhos (de tortura). Voltava a fofoletona pra esteira. Mais 20. A idéia, pelo visto, era a de promover queima rápida de banha, e eu torço para que dê certo.

Questão pertinente: gorducha daquele jeito e com uma personal gostosérrima daquelas, você ficaria feliz, motivada para ter um corpo igual, algum dia (se Deus te amasse muito, muito)?Iria usá-la como uma meta a ser atingida? Ou reforçaria a alimentação (sua e) de suas idéias de suicídio?

Quarta-feira

Na esteira, aborrecida enquanto o Flausino grita "na moral, na moral, na moral, na moral" ad infinitum. As senhôuras marombadas ao meu lado discutem de menopausa à aposentadoria. Aí uma lembra de contar, assim, subitamente, que seu partner de 63 anos ficou de pau duro por longas quatro horas, querendo sempre mais. Viagra. As amigas riram, cúmplices e condescendentes: haja lubrificante vaginal na vida da mulher madura pós-Viagra...

Sexta-feira

Estava no leg-press quando Madrinha chega atordoada: no banheiro, viu a moreninha de 35 quilos, que deslizava pra baixo e pra cima num legging verde-limão fingindo fazer exercícios, PASSANDO CHAPINHA NO CABELO. Às 7h30. Aaaaantes, portanto, de malhar.

E sim, eu voltei à academia para malhar (dos outros).

Um comentário:

Guilherme disse...

Chapinha agora virou aquecimento. Deve ser um esforço incrivel!