26.1.08

Gossip girl

O que eu quero nesta vida, minha gente, é ver o circo pegar fogo. Quer dizer, nada assim, do gênero "Roma em chamas", algo mais suave, menos brusco, algo que não mereça a capa dos tablóides sensacionalistas (haha). Mas que tenha fogo, que tenha implicações mil, que tenha veneno, picardias, que tenha múltiplas versões, controvérsias e uma pitadinha de polêmica.
O que eu quero é ser confortavelmente informada sobre quem está comendo quem, que a filha da fulana está prenhe, que o político influente em cidade X vai até cidade Y dançar vanerão e Latino de calça colada acompanhado de um séquito de amigos, todos igualmente gays. Que a nova funcionária daquela empresa está dando para o estoquista, no sétimo andar, deixando camisinhas usadas em todas as lixeirinhas (hahahahaha).
Quero só saber de coisas do tipo bizarre style, como o caso do coleguinha de trabalho que solicita serviços de disk-tóxico com certa freqüência; da moça aquela, do carro fechado na película, que pediu a escova de dentes da amiga (nem tão amiga assim) emprestada; da magrinha ninfomaníaca que, na cara dura, pediu DOZE folhas de cheque emprestadas para todos do setor onde trabalha.
Que o beltrano se separou; que a ciclana foi chutada e que a dita-cuja passa suas inúmeras horas de solidão fazendo sexo virtual usando uma falsa identidade na net. Que a amiga da amiga passa suas longas e insuportáveis noites agarrada num garrafão de rum e que aquele conhecido tem ornado a cabeça da esposa com belas hastes chifráceas durante todas as quartas-feiras, quando vai se divertir com alguém colhido no trevo da Vesul (ou rua da rodoviária nova, whatever).
Enfim, são coisas que fazem a vida valer a pena, não é mesmo? E coisas que, infelizmente, não podemos abrir assim, sem comprometer imagens alheias. Mas que dariam histórias bombásticas por estas plagas, ah, dariam... quem sabe um dia (ou uma noite, em casa de G. girl). Em breve, mais.

2 comentários:

Matheus disse...

Todos esses exemplos de babados aí são reais, é? Se forem, precisamos ter uma resenha... ;D

Vi um gato no mangá. O gato é sorte

Cíntia T. disse...

Isso aí é samba-enredo?