10.8.06

Casar ou comprar uma bicicleta?


Pensei que esta fase jamais fosse chegar, mas finalmente me aproximo daquele momento da vida em que amigos e conhecidos estão traçando planos para juntar trapinhos e/ou ter filhos. Eu imaginava que pertencia a uma tribo de peter pans que jamais encararia a vida com muita seriedade - não que casamento e filhotes sejam indícios signiticativos de maturidade. Mas incrivelmente todos os que me cercam - os mais íntimos, deixo claro, assim como eu, se arrastaram lentamente em direção ao caminho mais óbvio percorrido pela humanidade: a formação de uma família. Fico feliz de saber que gente tão querida está finalmente realizando sonhos como a aquisição de um apartamento, o planejamento detalhado da cerimônia de casamento ou a organização das finanças para a chegada de um pimpolho no lar. Confesso que aos poucos vou me sentindo mais próxima deste time, dos que por livre e espontânea vontade (ok, Caetano, nem tão de livre e espontânea assim, né?) procuram a forma mais adequada de se amarrar. A querida Gisa, a amada Jane F., John, Marcito e afins, todos estão devidamente comprometidos ou rumo ao altar. Crescemos, é fato. Mas quero acreditar que esta história de "tendência" não exista realmente, e que minha geração ainda tenha representantes ferrenhos da single way of life. Que é chiquérrimo, by the way. (by Cíntia T.)

Um comentário:

Micheline disse...

Bom, tenho que fazer um comentário neste post por dois motivos óbvios: primeiro porque sou uma casadoira convicta!!!! hahaha E segundo, porque a Cíntia fez o favor de colocar como figura ilustrativas justamente dois gatos, que, pra quem me conhece, né Cíntia?!, já dispensa maiores comentários!!! Adoreiiiiiiiiiiiiii