8.9.09

As Imediatas: o reencontro

A TV não cansa de mostrar, em filmes, séries e afins, aqueles eventos em que se promove o encontro de uma turma de colégio/faculdade muitos anos após a formatura. Homer Simpson já esteve em um; Peter Griffin too. Até a Globo já fez minissérie baseada nesta premissa, a Queridos Amigos.
Invariavelmente, cabe a estes colegas provar o quanto se tornaram ricos, bem sucedidos, bem empregados, vitoriosos e prósperos. Às mulheres, há de se ter filhos, uma bela casa própria, carreira de sucesso (a faculdade serviu pra que?); aos homens, a obrigação de ter fisgado a mais gostosa do quarteirão - gostosa e honesta, o que é bastante relevante. Carro do ano, joias, uma eventual estola de vison dependurada nos ombros, caso faça frio. Bons dentes, ausência de cabelos brancos, o que se quer é impressionar, sejamos francos.
Os que não conquistaram tudo isso ou vão mentir ou faltar ou ainda irão comparecer e vagar pelos cantos, torcendo para não serem vistos e interrogados.
Claro, tudo isso aí de acordo com o imaginário castrador, implacável e capitalistamente selvagem de Hollywood. No Brasil estes encontros sempre acabam em festa, cachaçada, ricos se misturam aos pobres, uns pedem emprego aos outros e o pagode se estende até as oito da manhã.
Neste fim de semana promovi um mini-encontro entre moi e uma grande amiga dos dourados anos universitários.
Éramos ambas incrivelmente jovens, bestas e imaturas, e perdemos grande parte da diversão sendo fiéis e dedicadas aos nossos namorados (jovens, não namorem durante a faculdade, fikadika). Naquela época nossos fantásticos planos para o futuro se resumiam em 1) trabalhar na Marie Claire (hahahahahaah) e 2) casar antes dos 25, com nossos respectivos companheirinhos.
Mesmo com a (relativa) distância, Stellita B. e eu mantivemos os laços de amizade e demos início a este bloguinho cor-de-rosa e abusado. Sim, ela é a outra imediata que dá título ao blog, apesar de suas esparsas contribuições (não posso deixar de alfinetar, néam?).
Após nove longos anos, nos reencontramos, finalmente, em terras sharkcitianas. Não pude conter a lembrança (e é esta a razão do longo nariz de cera) dos "bailes de reencontro da turma de 1984", que a gente vê na TV. Porque se a falta de um super emprego como editora da Revista Piauí, a ausência de filhos ou ainda de um marido rico, lindo e apaixonado não me constrangem, outras ocorrências contribuíram para que eu escondesse meu rico pescocinho na areia.
Em dois dias pela cidade, Stellita foi abordada por sete andarilhos sedentos de atenção, conheceu alguns de nossos admiráveis pontos turísticos, como pontes Nereu Ramos e Heriberto Hülse - além da pênsil, que é luxo e alegoria (e eu falo sério, adoro), viu a cidade coberta de bosta do início ao fim da M.M.Cabral (maldito desfile de 7 de Setembro!), comeu no Hard Dog (yeah!) e ainda assistiu show com Kátia Cega (depois posto foto). Também degustou um churras safado e saboreou uma casquinha na sorveteria mais badalada da city (onde foi devidamente xavecada pelo proprietário, solteiro e deslumbrante).
Além de tudo isso, ainda levou impressionantes OITO HORAS para chegar em território seguro (Joinville, onde mora): feriadão com sol é a maldição dos catarinenses viajandões.
Mas valeu toda a pena (pelo menos para mim). Apesar dos inúmeros momentos de constrangimento, conseguimos botar pelo menos uns quatro anos de fofocas acumuladas em dia. Só temo pelo dia em que resolver visitá-la na Terra dos Príncipes: qual será sua vingativa programação especial?

6 comentários:

Guilherme Corrêa disse...

Nossa, nunca senti tanta saudade de minha terrinha linda como agora, lendo esse texto. Não pelo sete de setembro, não pelo tarado sorveteiro e muito menos pelas belas pontes. hard Dog, i miss you!
E como assim Kátia Cega em Tubarão e ninguém me avisa? Já tá na epoca da nossa querida e amada Produsul? Hahahha

Cíntia Teixeira disse...

Hahahahahahah!!!! Guri, te prepara pra quando eu publicar esta foto. Só vai imaginando...

Dodói™ Incorporeichions! disse...

Só reza pra ela não te levar no Parque Zôobotânico! Tem uma maldito de um bugio estressadíssimo, que berra quando é observado... parece que acabou de cheirar uma carreirinha!

dona Marcia disse...

Delícia reencontrar amigos, neh, Cíntia! Aliás, delícia reforçar a amizade com vocêzona, super colega de profissa (sempre me achei sortuda!!)!!
Quanto à nossa oficina, não perdi um segundo sequer da inspiração que surgiu naquela mesma manhã, mas ainda não enviei. Estou, digamos, tratando da criança, rss.
Brigadãao pela visita no Dona Marcia, bonita! Até o próximo find. Beijãaaaaoo!

Rachel disse...

Proprietário solteiro e deslumbrante?? Onde essa soveteria aqui na Shark City?? Tô precisando, pq nem Tarso tô pegando.
Bjo

Cíntia Teixeira disse...

Putz, Dodói, quero ficar longe deste zoológico, pelamor.
Marcita, volte sempre!
Rachel, nem me fale disso, que só aparece Tarso na minha vida. E é sério.