3.5.09

É o fim (ou Como recompor um coração partido)

E depois de (quanto?) cinco longos anos, acabou. Acabou assim, relativamente fácil, relativamente rápido, quase que indolor. Sem discussão, gritos, pranto incontido, sem desespero. Porque finalmente concordamos que já não era possível continuar juntos; porque o amor transformou-se em qualquer outra coisa entre a amizade e o bem-querer; porque já passava da hora de trilharmos caminhos diferentes. 
Restei eu neste apartamento - agora tão grande - e não pude reprimir uma lágrima furtiva quando vi que sua escova de dentes já não repousava mais no armário do banheiro. 
Foram muitas as histórias, muitos os "momentos mágicos", quando pensávamos que não podíamos ser mais felizes, muitos os planos, risadas, carinho, companheirismo, troca de confidências, jantares, cafés da manhã, briguinhas, brigonas, enfim, tudo aquilo que faz com que casais enamorados sejam pessoas tão especiais - e que simplesmente desaparece quanto acaba o sentimento. 
Eu agora estou profundamente triste. Triste porque meus planos fracassaram, porque não consegui fazer funcionar. Mas passa - e devo ressaltar minha poderosa capacidade de recuperação. Eu hei de me reerguer. 
Ainda ontem quis ouvir música e dancei freneticamente, sozinha, por horas a fio, na minha sala de estar - inconscientemente, já tentando afastar meus demônios e espantar uma tristeza pesada que já vinha se estabelecendo muito antes do fim propriamente dito. 
Eu queria chorar, mas estou muito frustrada para isso. Ironicamente, amanhã "comemoro" mais um aniversário. Sozinha, após cinco bons anos. E antes de me acabar em melancolia, recorro ao mantra mágico "Vai passar, vai passar, vai passar..."

5 comentários:

Guilherme Corrêa disse...

Espero que o sentimento melacólico seja repentino. Novos, e melhores, tempos virão. Dance! BJão

Cíntia Teixeira disse...

Thanks, sweet! Virão sim (I hope so). E enquanto isso, "so you think you can dance?" (hehehe).

Andresa disse...

Espero que se recupere logo deste momento difícil.Qdo quiser conhecer Jaraguá city estarei à disposição. Vamos bber umas cerva e vc conhece o Rodrigo e a cidade. Qdo quiser é só aparecer. Bjossssssssss

Ju Neves disse...

É preciso cair para poder se reeguer. E quem nunca caiu? Desejo muitos bons momentos para vc!!!
bjs

Cíntia Teixeira disse...

Desinha, Ju, thanks so much pelo carinho. Beijo nas duas!