11.5.08

Achado não é roubado (ou "Feliz Dia das Mães")

Uma vez achei R$ 5 no estacionamento de um restaurante, em Florianópolis. Fiquei ultra-feliz, boca na orelha. Em outra ocasião, encontrei R$ 37, em um bolinho amassado de bêbado com várias notas, ao lado da minha mesa, na praça de alimentação do Shopping Recife. Como tinha muita gente na rodinha, pus o pé em cima, abaixei-me discretamente e meti o bolo de grana na bolsa, like a thief. Só fui contar o montante bem depois, me deliciando pelo lucro não dividido e inesperado.
Nunca fiz parte do time dos sortudos que encontram um mimo em cada esquina. Conheço gente que já achou uma caixa com dezenas de CDs - e dos bons. Óculos escuros de grife. Bracelete de ouro. Até telefone celular (minha irmã achou, recarregou e esperou longamente por uma ligação de resgate. Que não veio. Aí ela adotou o aparelho, mas perdeu após alguns meses, a tansa).

Mas a história de achados e perdidos mais comovente que já presenciei na vida aconteceu quando trabalhava num jornal, na Lagoa da Conceição. Neste jornal havia um office-boy, um garoto fofo, adolescente, que, diziam as más-línguas, sofria um bocado por conta de sua mãe, alcoólatra. Na semana que antecedia o Dia das Mães, lá ia o menino, fazendo e recebendo pagamentos para o jornal, e pensando no que comprar para sua amada progenitora - o Dia das Mães caia bem no aniversário dela. Aí que, lá na esquina, uma mulher, andando apressada, chamou sua atenção. Ela seguia firme, pisando duro, cheia de pacotes de lojinhas bacanas. Ao dobrar a esquina, deixou cair um envelope. O boy correu, pegou o papelucho e virou a esquina para entregá-lo à mulher. Só viu o automóvel da madame já indo longe, um carrão importado. Resfolegando, o menino decidiu abrir o envelope. E se deparou com uma apetitosa nota de R$ 50, estalando de nova, na época uma mini-fortuninha para os menos abonados.
Vislumbrei o brilho de felicidade nos olhos do menino, que precisava de tênis novos e de uma camiseta transada para sair à noite: agora, ele já tinha em mãos o presente de sua mãe.

5 comentários:

Regina disse...

Fiquei preocupada: e o que ele resolveu dar pra mãe?
Ganhei do filho produtos da Natura,pra ficar macia e cheirosa, e arrumar namorado novo. O presente da filha tá chegando da Paraíba. Digo que vem de jegue, pois leva oito dias (sedex de lá/pra lá é um horror de caro...)
beijo.

Ice Ice Baby disse...

ok então né...fica a dica! thanks!

bjs chuchu

Luciano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciano disse...

Duas vezes em Porto Alegre, na mesma rua (mas não no mesmo dia) achei uma nota de R$ 50,00. Numa das vezes, estava chuvendo e a nota, molhada.
Duas semanas atràs, achei nas escadas de um metro, meus primeiros 5 €uros "achados". Foi meio trabalho de equipe, pois uma amiga que estava junto ficou alguns segundos olhando para o chão. Quando vi o que ela olhava fixamente, me abaxei rapido e catei os 5 "pila".

Voilà, voilu...

Regina disse...

Puxa, que esse Luciano nasceu de lu pra lua...
(infame, mas não dá pra resistir!)
Nunca achei nada, anão ser cocô de cahorro, que aqui na Trindade tem aos montes...
bj procês.