19.6.07

Rica de piolho

Muito me agradaria ser rica. Não digo rica de saúde, rica de amor ou rica de amigos, já que, graças a Deus, estas riquezinhas todas já me pertencem e estão todas bem resguardadas no cofre-forte do meu peito. Me gustaria era ser rica de dinheiro. Não classe média-alta, ou descendente de herdeiro outrora muito rico e que ainda lhe resguardou umas doletas (caso típico dos pseudo-riquinhos destas plagas). Rica RIIIICAAA, daquelas que nem sabem quanto dinheiro tem, que nunca ouviram falar de cheque-especial e cujos cartões de crédito equivalem a obras de arte (por seu valor intrínseco, é claro). Digo mais: o desejo de querer ser rica, muito, muito rica, milionária advém do fato de ser eu do gênero feminino, que, reconhecidamente, sofre mais com as pendengas financeiras desta dura vida de trabalhador braçal.
Todas as mulheres do mundo querem ser ricas. Incluindo as que já são. E sempre há um motivo especial: há quem queira ser rica para poder coroar seu amor de mimos caríssimos; quem o queira para adquirir todos os lançamentos (mesmo os ridículos) oriundos do spfw; há as que almejam a riqueza para adentrar no mundo das celebrities - artistas, starlets, certos empresários, bbbs (os que embolsam R$ 1 mi) invariavelmente ganham capas de revistas. Para muitas, o dinheiro é afrodisíaco (ou o poder?). Para outras, capaz de operar verdadeiras transformações na alma (e no corpo), ocasiando mudanças agradáveis ao dia-a-dia (modelar o narigón, afinar a silhueta, fulminar aquela papada ridícula, botox). M.Z. sonha com a fortuna para poder montar sua daslu sharkcitiana, decorada por TODO o casting da Casa Cor, em uma de nossas inúmeras mansões tombáveis. G. girl, a sertaneja, se contentaria com alguns milhões que garantissem seu vôo semanal a Recife (ela é ullllltra-modesta). Grasi, a casamenteira, aceitaria uma conta na Suíça em seu nome, de bom grado, para poder bombar sua cerimônia de casamento (em breve). Stellita compraria um quarteirão em sua Vila da Alegria (mas iria decorá-lo sozinha, do seu jeitinho). Eu manteria, full time, um massagista, uma cabeleireira e, principalmente, uma manicure. Das boas. A melhor que o dinheiro pudesse comprar. Praticamente uma J. Sister. Para ter unhas belas, polidas, bem tratadas e colorizadas por sete dias na semana. Há quatro dias dispensei meia hora sentadinha no meu salão preferido tratando das extremidades dos meus frágeis e delicados dedinhos. Hoje, o esmalte já era, a cutícula já pode ser vista a olhos nus e o efeito fica até pior do que unhas não-feitas. Argh, meu mundo por uma acetona. Dinheiro para alimentar a rica indústria dos esmaltes? Quem me dera. E como não deu, contento-me com minhas riquezinhas perpétuas: uma saúde de ferro, um amor para todo o sempre ever e amigos de verdade. E unhas de pobre.

3 comentários:

Miche Z. disse...

Bem, vejamos! Depois de entrar em depressão após entrar no maravilhoso mundo da Mostra Casa Nova e ter vontade de mandar todo mundo embora de lá pra deixar o apartamento de mil metros quadrados em plena Beira-Mar Norte que vale (aliás, ele não vale, mas custa) a bagatela de R$ 5 milhões rica e lindamente mobiliado com TVs de plasma espalhadas em cada cômodo só pra mim, queria realmente ser triliardária para poder sim ter minha Daslu sharkcitiana (mesmo que a casa dita histórica está indo para o chão). Mas queria mais ainda. Tbem queria sim cabeleireiros, maquiadores e manicures diariamente no momento que eu acordasse. Sim, minha unha lindamente feita já foi para as cucuias hoje. E eu ainda tenho que gastar mais para fazê-las por conta de uma alergia ridícula a esmaltes. E sabe quanto custa um mísero vidrinho de esmalte hipoalergênico??? 9 reais!!! Ah, claro, e queria muito, mas muito, e aí vem minha parte emocional comprar um sítio enorme e nele poder adotar e tratar com todos os cuidados e mimos de todos os animais de rua, incluindo até aqueles pobres cavalos mal-tratados. E não me venham com aquela frase de que eu deveria me preocupar com as criancinhas pobres e não com os animais. Ou então, que deveria agradecer pelo que já tenho. Já faço isso. Mas não custa sonhar e querer mais, ora bolas!

Ufa... acho que me animei e escrevi demais!!!

joaobjjr disse...

E aí querida, o contador está bombando!?!?!?!?
Não sou mto de deixar coments, mas sempre estou acessando seu bloguinho, que aliás é o melhor do mundo.
Bjs! Saudades...

Matheus disse...

Relaxa, Cintia.... Heterossexuais não reparam em unhas